14 de junho de 2013

O que não se deve fazer

             Será sempre inútil tentar tratar um paciente sem realmente ter pelo menos uma idéia do que ele tenha, do processo lesional, patomecânica, fisiopatologia, enfim, entender o que realmente ESTÁ acontecendo com o paciente que está ali a sua frente.


         Sei na verdade que minhas postagens se referem, em sua grande parte, a terapias, procedimentos, conceitos relacionados a terapia manual. Mas seria realmente ingênuo em não pensar que o conhecimento a cerca da patologia se faz necessária em qualquer área que queiramos atuar. Ora, mas isso deveria ser lógico, não é mesmo? Deveria, mas a lógica não se aplica.

                Isso mesmo, não se aplica! Do contrário, como se explicaria um paciente que tem uma patologia “incurável”, onde as condutas nunca mudam, seguindo sempre a mesma ordem: A; B E C. Alguns mudam e fazem no primeiro dia A, B e C, no segundo C, A e B. Esse paciente está fadado a ser um eterno freqüentador da clinica.
                Parece até piada, né mesmo? E é! Piada de extremo mau gosto com o pacientes que esperam no profissional que está o atendendo o mínimo de competência para te,r em seu esforço financeiro, esperança de melhora.
                Se alguém que é paciente estiver lendo esse post e vê no profissional que o atende essa incoerência, por favor mude. Espero que não procure muito alguém realmente comprometido com a melhora e bem estar do seu estado. Mas quero dizer uma coisa realmente importante nessa sua peregrinação, a FISIOTERAPIA funciona, no entanto o que chamam de fisioterapia, e passa longe de ser, essa não.
                Esse outro conselho vai para os colegas. Não há problema algum quando se reconhece ser incapaz de atuar em alguma problema. O que realmente será preocupante é permanecer estático, não evoluir enquanto profissional, e ficar limitado pela acomodação. Outra coisa que considero extremamente importante é saber o que não se deve fazer. Isso porque, na maioria das vezes, usar conduta errada poderá regredir aquele quadro inicial do paciente. Você pode até não saber o que fazer, mas certamente, não fazendo conduta equivocada estará ajudando grandemente aquele paciente que o procurou.
                Enfim, podem até não concordar com o que citei, mas está ai. Espero que possa ajudar a alguém com essas considerações. Certamente não sou o melhor profissional de minha área, mas procuro ser sempre melhor no dia seguinte do que fui hoje.

Nenhum comentário: