8 de junho de 2012

Tecidos não contráteis, o que precisamos saber?



            Os tecidos moles apresentam algumas propriedade mecânicas muito importantes as quais precisamos estarmos atentos quando ao tratar nosso pacientes.

            A primeira que destaco é quanto a disposição de colágeno nos diferentes tecidos. Fibras de colágena são responsáveis pela força tensiva dos e resistência do tecido à deformação. Logo, estruturas com maior quantidade de colágena são mais resistentes à tensão, com pequena quantidade de formação à força tensiva.




Representação da fibra de colágeno no tendão, ligamento e na pele.


            Além disso, essas fibras precisam estar bem orientadas. Quando dispostas em paralelo, maior será a sua resistência à tensão. Fibras colágenas da pele são organizadas de forma desordenada e aleatória, logo sua resistência a força tensiva é mínima.

            No processo inflamatório, à deposição de colágena na fase de reparo tecidual. Se esse depósito ocorre longitudinalmente às orientações das fibras, tudo bem. Mas se ocorrer transversamente, haverá aderências que podem limitar a eficiência da ação muscular, e a isso o terapeuta deve estar atento.

            Outras fibras importantes a serem citadas são as de elastina. Estas, proporcionam extensibilidade ao tecido. Além disso, elas podem falhar abruptamente ao serem submetidas a cargas elevadas. Tecidos com maior quantidade de elastina são mais flexíveis.

            Entendam que estamos falando de um tipo de fibra predominando sobre a outra. Numa estrutura corporal terá só um dos tipos de fibras. No caso, o colágeno fornece uma característica plástica ao tecido e a elastina, elástica. Se uma estrutura fosse totalmente plástica, facilmente seria quebrada, pois não seria capaz de suportar numa deformação.

            Outras fibras a serem citadas são as de reticulina, que conferem volume ao tecido.

            A substância fundamental amorfa (SFA) também é muito importante, pois tem função de hidratar a matriz, estabilizar as malhas de colágeno e resistir as forças compressivas. Os proteoglicanos que conferem essas características, sendo proporcionais aos tipos de cargas compressivas e tensivas que agem os tecidos. A SFA reduz o atrito entre as fibras, transporta nutrientes e metabólitos.


Por: Ft. Esp. Diego Sales (Organizador do Blog)

Nenhum comentário: