9 de setembro de 2011

Tecido fascial contrátil? Como assim???


Olá pessoal. Espero trazer nessa postagem o mesmo ou maior numero de discussão que trouxe em algumas postagens, isso porque considero um tanto quanto nova a informação bem como polêmica.
Contração das fáscias é um tanto quanto nova a informação não é? Até então temos em mente que apenas o tecido muscular seria dotado de capacidade contrátil, sendo a fáscia responsável pela transmissão dinâmica das forças no sistema musculoesquelético, adaptando-se a tensão de forma passiva. Alguns estudos já apontam para mudança nesse conceito, mostrando que há células contráteis em meio às células fasciais, indicando que a adaptação facial as tensões no sistema musculoesquelético tem as fáscias como agentes ativos.
Imunohistoquimica secção da fáscia lombar humana. As setas indicam os miofibroblastos.


Para Scheip e colaboradores, esta habilidade está fortemente relacionada com estados de contraturas crônicas, onde o rearranjo fascial aparece para compensar as disfunções corporais. A HIPÓTSE é que o tecido fascial se adapte espontaneamente as tensões e períodos  que variam de minutos a horas, dependendo de sua magnitude.
Se o tratamento fascial era considerado importante, essa descoberta vem ainda a firmar mais tal importância. Não apenas estados de desequilíbrio muscular garantem as disfunções, mas também o desequilíbrio contrátil da fáscia. A imagem do “macacão” (representando o tecido fascial) sendo tensionado, trazida por D`Ambrogio (FIGURA 2), agora fica mais fácil de ser compreendida, pois uma contração exercida pelo tecido fascial irá ser transmitido a outras fáscias, ao tecido muscular e ao tecido ósseo (que estão em continuidade).


FONTE: D’AMBROGIO, KJ; ROTH, GB. Terapia de Liberação Posicional (PRT). Avaliação e tratamento da disfunção musculoesquelética.

Por: Ft. Esp. José Diego Sales, DQ.
Organizador do Blog

REFERÊNCIAS
SCHLEIP R, KLINGLER W, LEHMANN-HORN F. Fascia is able to contract in a smooth muscle-like manner and thereby influence musculoskeletal mechanics. Originally published in: Liepsch D: Proceedings of the 5th World Congress of Biomechanics, Munich, Germany 2006,pp 51-54.

SCHLEIP R, KLINGLER W, LEHMANN-HORN F. Active fascial contractility: Fascia may be able to contract in a smooth muscle-like manner and thereby influence musculoskeletal dynamics. Med Hypotheses. 2005, 65(2):273-7.
D’AMBROGIO, KJ; ROTH, GB. Terapia de Liberação Posicional (PRT). Avaliação e tratamento da disfunção musculoesquelética. São Paulo : Manole; 2005.

Nenhum comentário: