13 de junho de 2011

Plexopatia na mochila !

Qual a relação que as imagens abaixo guardam entre si?

                         
A mochila! O bebê que vira mochila, a criança que leva mochila, o soldado e os acampantes que precisam levar tudo  o que precisam ou precisariam dentro de sua mochila. Aí você já pode pensar que é aquela velha história da postura, blábláblá. Não deixa de ser importantes falar disso, mas venho frisar outra coisinha tão importante quanto: plexopatia.
Plexos nervosos são uma rede cruzada entre si de nervos que levam importantes informações à periferia, sendo que existe quatro plexos: cervical, braquial, lombar e sacral. Qualquer fenômeno que impeça o fluxos normal de informação por meio dos plexos leva, ao que denominamos, de plexopatia.
Mais especificamente vamos falar de plexopatia provocada pelo uso da mochila. Essa lesão começou a ser descrita na Segunda Guerra Mundial e durante as guerras da Coréia e Vietam. Também começou a ser evidenciada em pessoas que usavam mochilas com grande quantidade de peso, como é o caso dos exemplos acima ilustrados: crianças que carregam grande quantidade de livros, acampantes, crianças levadas como mochilas.
O que causa a lesão ao plexo em questão, o braquial, é a grande quantidade de peso levada sobre os ombros e transmitidas através das alças. A tendência de desenvolvimento da lesão é proporcional ao peso carregado, bem como sua repetição.
Os sintomas se dão de forma gradual, com aparecimentos de fraqueza em um dos braços, com sensação de dormência, podendo chegar a paresia dos músculos da cintura escapular, tipicamente afetando o serrátil anterior, supra-espinhal, deltóide, bíceps e extensores do punho. A imagem abaixo mostra o plexo afetado.


Google Body

Então pense duas vezes antes de levar uma mochila muito pesada!
Referência:
FERREIRA, A.S. Lesões nervosas periféricas: diagnóstico e tratamento. 2 ed. Editora Santos: São Paulo, 2001.

Por: Ft. José Diêgo Sales, DQ
Organizador do Blog







Nenhum comentário: