19 de maio de 2011

Articulação Sacoilíaca e suas relações miofasciais

                Problemas da articulação sacroilíacas (ASI) são bastante comuns em nossa prática clínica. Já sabemos que é uma importante articulação e que distribui o peso da coluna vertebral para os membros inferiores, bem como suaviza os impactos ascendentes na coluna vertebral.
                Disfunções na ASI tanto geram distúrbios descendentes como ascendente, levando a lesões articulares, não só a própria ASI, mas também a articulações zigoapofisárias, coxofemorais e do joelho.
                É preciso ter em mente que quaisquer disfunções articulares não são exclusivamente articulares. Todo o sistema miofascial envolvendo aquele segmento é afetado e pode garantir a perpetuação do problema, quando não tratado de forma adequada. O contrário também é verdadeiro, o problema predominantemente miofascial pode levar a disfunções articulares e que se não tratado conjuntamente, fatalmente o problema voltará.
                Isso já está ficando muito repetitivo nesse blog, sendo feito intencionalmente. É incrível como muitas vezes a relações parecem ser tão distantes, mas existe  e é lógico também. Aqui vou frisar especificamente os grupos musculares que tem relação direta com a ASI, para que possamos fixar melhor esse conceito em nossa mente e, principalmente, aplicá-lo mais.
                A ASI não possui músculos que controle diretamente seu movimento, embora os músculos da bacia forneçam estabilidade. A articulação é influenciada pelos músculos que influenciam o movimento no tronco, na pelve e quadris, muitos dos quais se fixam na pelve. Para facilitar o entendimento e visualização, os grupos musculares estabilizadores da pelve podem ser divididos em grupo, sendo:
- Grupo interno (formado por músculos profundos): transverso do abdome, diafragma, multífido e músculos do assoalho pélvico;
- Grupo externo, constituído em quatro grupamentos que atuam em padrões cruzados e oblíquos, sendo divididos em sistemas:
 - -> Sistema longitudinal profundo: eretores da espinha, fáscia toracolombar e bíceps femoral;
- -> Sistema oblíquo posterior superficial: grande dorsal, glúteo máximo e fáscia toracolombar interposta;
- -> Sistema oblíquo anterior: oblíquos internos e externos, adutores contralaterais e fáscia abdominal interposta;
- -> Sistema lateral: glúteos médio e mínimo e adutores contralaterais.
                A seguir as imagens facilitarão o entendimento.





            Olhando bem essas imagens elas parecem ter uma relação miofascial em cruzada, como se estivessem em cadeias. E na verdade elas estão. Mas isso é assunto para uma outra postagem. Leiam, pesquisem e discutam.


Por: Ft. José Diego Sales, D.Q.
Organizador do Blog

Nenhum comentário: