18 de abril de 2011

Osteopatia Visceral

Considerações do autor do Blog: É com muito prazer que mais uma vez o post de uma profissional de altíssimo gabarito e amigo pessoal, o Ft. Ms. Prof. Danilo Vasconcelos. Como é de costume, o Prof. Danilo informa de maneira sucinta, de fácil entendimento, as complexas relações da das vísceras e o corpo. Aproveitem o texto e pesquisem mais para compartilhar as informações de áreas tão vasta que é a terapia manual.



A osteopatia preconiza que todo o corpo humano pode ser inibido ou estimulado ou alterado pelo uso das mãos. Uma destreza combinada com entendimento do funcionamento do corpo e suas estruturas, leva à formação do verdadeiro osteopata. A Osteopatia é a arte de provocar auto-correções do organismo e a manipulação visceral é uma das formas de se conseguir. A osteopatia estimula o organismo a utilizar suas próprias defesas.
A  mesma visão estrutural empregada pela osteopatia parietal é empregada no sistema visceral. A premissa principal da osteopatia visceral é que a inter-relação entre estrutura e função entre os órgãos internos é tão importante quanto à inter-relação entre os componentes do sistema músculo esquelético. Portanto a utilização de técnicas manipulativas pode também ser útil no tratamento de disfunções de órgãos internos.
Toda patologia de víscera resulta no que chamamos de restrição visceral. Quando isto ocorre, a víscera não mais se movimenta livremente na sua cavidade, mas é fixada por outras estruturas. O corpo é forçado a compensar esta situação que leva a um problema funcional e eventualmente, se a compensação é inadequada para um problema estrutural.
O tratamento consiste na estimulação da víscera para restaurar sua mobilidade fisiológica primária e sua motilidade. A mobilidade representa o movimento passivo da víscera em resposta ao movimento diafragmático; e a motilidade, o movimento inerente da víscera.
O Movimento Visceral é dividido em 4 categorias de acordo com o sistema que o controla ou o influencia do Sistema Nervoso Somático, do Sistema Nervoso autônomo, do Ritmo crânio-sacro e da Motilidade Visceral.
A víscera em boa saúde tem movimento fisiológico. A movimentação é uma relação de interdependência por causa das membranas serosas que envolvem o órgão, e a fáscia, ligamentos e outros tecidos de ligação com o resto do organismo.
Qualquer fixação, restrição, aderência à outra estrutura implica na diminuição da plena função do órgão. A modificação dessa movimentação repetida centenas de vezes diariamente no corpo, pode trazer significativas alterações tanto para o próprio órgão quanto para estruturas a ele relacionadas.

Por: Ft. Ms. Danilo Vasconcelos, DO, DQ.

Nenhum comentário: