6 de abril de 2011

Baropodometria

Considerações do autor do blog: Como promtido, aí vai o complemento da postagem anterior, espero que aproveitem o texte e comentem também.

       É evidente que uma avaliação minuciosa e bem feita é fator determinante para um bom tratamento e conseqüentemente um bom prognóstico. Daí entra a necessidade de utilizar recursos acessórios no exame físico que nos mostre dados não só qualitativos, mas também dados que possamos mensurar. Pois este facilita a análise da evolução do paciente, além de serem mais fidedignos que a avaliação física subjetiva realizada por cada avaliador. Por isso, os investimentos em pesquisas e fabricação de aparelhos como o goneômetro digital, eletromiografia, plataforma de força, e entre eles o baropodometro.

      O baropodometro é um equipamento constituído de uma plataforma de aproximadamente 45x57cm para avaliações estáticas, podendo chegar até a 10 metros para avaliações dinâmicas. Na sua superfície apresenta sensores eletrônicos de platina, revestido de captor em cacho alveolar, que captam a distribuição de pressões entre o antepé, mediopé e retropé na postura ortostática ou caminhando.

Plataforma Baropométrica
        Os dados coletados são encaminhados a um software que auxilia na interpretação dos valores coletados. Em uma avaliação baropodométrica podemos obter as seguintes variáveis: Pressões máximas e pressões médias em kgFcm2, distribuição de peso entre os pés em percentual (%) para cada lado, superfície em cm2, barocentro do pé e da postura (cm), estabilometria (avalia as oscilações em milímetros dos pés e do corpo nos diferentes planos), tempo do passo, velocidade e análises em 3D.


Imagem gerada pelo software

Pressões Podais


Por: Marina de Sousa Medeiros
Acd. de Fisioterapia - UEPB
Monitora da disciplina Recursos Terapêuticos Manuais - RTM
Membro do Núcleo de Estudos em Motricidade Humana - MOTRIS
Membro da diretoria do Centro Acadêmico
Esteticista pelo SENAC - Mossoró

Nenhum comentário: