25 de março de 2011

Síndrome do Túnel do Tarso? Não é do carpo não?

A brincadeira do título se refere a nossa maior familiaridade com a síndrome do túnel do carpo, ficando por vezes esquecido nos enfoques das aulas da universidade pelo menos a referência a essa síndrome.
A STT não é muito freqüente, atingindo cerca de 10% da população, sendo as mulheres mais acometidas, principalmente entre a faixa etária de 45 e 50.
Mais onde está localizado esse túnel? Assim como no carpo, o túnel do tarso é formado por estrutura de sustentação e ossos, neste caso pelo o retináculo dos flexores (túnel do tarso proximal); assoalho ósseo; fáscia profunda do músculo abdutor do hálux (túnel do tarso distal). Na figura abaixo é possível visualizar melhor.



Algumas causas podem ser apontadas, como deformidade em valgo do retropé, associado a tensão nervosa adversa do nervo tibial, traumas diretos, uso contínuo de calçados apertados demasiadamente, neoplasias ou linfomas localizados dentro do túnel do tarso.
Essas estruturas inelásticas guardam relações anatômicas que devem ser levadas em consideração, como: nervo tibial posterior, músculo abdutor do hálux e bursa adentícia subcalcânea.
Dor tipo queimação, parestesia no dorso do pé, sensação de aperto na face anterior do tornozelo e planta proximal ao maléolo medial, que piora à noite e melhora com os movimentos da perna, pé e tornozelo.
            O exame clínico pode-se encontrar hiperestesia e hiperalgesia. O teste a ser usado é o teste de Tinnel, como o carpo, realizado através da percursão posterior ao maléolo medial. A eletroneuromiografia também pode ser usada no diagnóstico dessa síndrome. Fraqueza e atrofia nos músculo do pé ainda podem ser vistos.
            O tratamento se baseia em dois pilares: medicamentoso, para alívio da dor e resolução inflamatória local, e remoção ou atenuação do fator causal de compressão. Este último é muito variável e dependerá de uma boa análise clínica do paciente. Em alguns casos, a cirurgia de liberação dos retináculos é necessária.



Por: Ft. José Diego Sales, DQ.
Integrante do Centro Paraibano de Quiropraxia

Nenhum comentário: